Anúncio em outdoor do Ifood, em Erechim, no Rio Grande do Sul

Case Ifood: OOH para expansão territorial

Impulsionado pelas percepções de comodidade, praticidade e oferta de bons descontos, o mercado de aplicativos de delivery cresce de forma acelerada no Brasil.

Somente em 2018, os pedidos de restaurantes e lanchonetes feitos por aplicativos movimentaram cerca de R$ 11 bilhões, segundo a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (ABRASEL).

Liderando esse movimento, está o iFood. O aplicativo é o mais conhecido entre os usuários brasileiros de apps de delivery e segue em franca expansão territorial para manter o seu domínio.

Para conquistar novos espaços, o out-of-home tem um papel preponderante.

Anúncio em banca de jornal na campanha da Maruchan

A publicidade em bancas em São Paulo é permitida?

Para falar sobre os anúncios em bancas de jornais e revistas em São Paulo, vamos fazer uma referência ao capítulo de negociação do nosso Guia Definitivo do Out-of-Home

Em um de seus tópicos, falamos sobre legislação e a importância de conhecer as regulamentações de cada município sobre a publicidade em espaços públicos. 

Inclusive, usamos como referência a Lei Cidade Limpa, que está em vigor no município de São Paulo e que proíbe anúncios em outdoors e busdoor.

Tá, mas o que isso tem a ver com as bancas de jornal? Bom, a lei esclarece o que é proibido, mas também rola uma pegadinha (ou um mau entendimento do texto) sobre onde é permitido anunciar — e é aí que entram as bancas na jogada. Afinal, trata-se de um formato muito procurado por anunciantes para as suas campanhas, mas que não sabem se podem fazer publicidade ali.

painel-acesso-faria-lima-cuponeria

Case Cuponeria: O OOH na popularização de apps

A Cuponeria é uma plataforma de cupons de descontos inaugurada em 2011. Suas ofertas cobrem restaurantes, supermercados, lojas de moda, e-commerces e outros serviços. Para aproveitar os cupons, os clientes não pagam qualquer taxa ou assinatura.

A comunicação da marca normalmente é feita com os parceiros (estabelecimentos comerciais e e-commerces que desejam vender mais a partir de cupons) e com o consumidor final (mostrando que a economia gerada é real). E aí vem o desafio de estabelecer a cultura de uso de cupons no Brasil.

Pensando em popularizar o seu modelo de negócio e sua própria marca, a empresa optou por anunciar nos trens e estações do Metrô e da CPTM de São Paulo com a NOALVO. Por isso, vamos nos aprofundar neste estudo de caso.

cobertura-frequencia-mapa-makers

O que são cobertura e frequência de anúncios?

Quando um anunciante recebe um plano de mídia e sua defesa, pode não ser tão simples entender os conceitos de algumas métricas e qual a real importância delas nas campanhas.

Por exemplo, é comum ouvir falar em cobertura alta, média ou baixa; frequência, frequência média e frequência eficaz, e não saber como elas se aplicam, de fato, nos seus anúncios.

Sabemos que tem muito mais métricas no out-of-home, nos demais meios tradicionais e no marketing digital a serem exploradas, mas, neste texto, vamos focar em cobertura e frequência. Afinal, são os dois indicadores que, junto com o orçamento e o público-alvo, definem a escolha dos pontos de mídia e o período de veiculação de uma campanha.

Exemplo de Painel Lightbox da campanha da São Camilo na estação Chácara Klabin

Case São Camilo: Das estações de metrô ao digital

O mercado educacional é um dos responsáveis pelos maiores investimentos em out-of-home no Brasil. Em 2017, foi o setor que mais destinou verba para a mídia exterior, com uma fatia de 9% do total.

Em 2018, segundo a Kantar Ibope Media, o ensino escolar e universitário foi a categoria que mais investiu em formatos como transportes, mobiliário urbano, outdoors e painéis.

Uma das instituições de ensino que levantaram esse movimento é o Centro Universitário São Camilo. A empresa viu, nas estações de metrô, os espaços mais oportunos para divulgar seus cursos de pós-graduação a distância.